Notícia

Home | Voltar

Encaminhar esta notícia Imprimir esta notícia Aumentar fonte Diminuir fonte

Comissão Especial que analisou os serviços da Plenax/Alcance encontra irregularidades

01/11/2017

 

A Comissão Especial da Câmara, formada para estudar os serviços prestados pela empresa Plenax/Alcance ao município de Pouso Alegre, chegou ao fim. Após 180 dias de estudos e investigações, a conclusão apontou irregularidades como: fraude em licitação, desvio de verbas das áreas da Saúde e Educação para pagamentos da empresa, que presta serviços de limpeza; e inconsistências em contratos, planilhas, execução de serviços, medições e pagamentos indevidos.

Os estudos foram feitos pelos vereadores Arlindo Motta Paes (PSDB), presidente; Bruno Dias (PR), relator; Rodrigo Modesto (PTB), secretário e como membros os edis Oliveira Altair (PMDB) e André Prado (PV).

Após a análise de um processo de mais de 3.000 páginas, a leitura do relatório final foi feita em uma sessão extraordinária na manhã desta quarta-feira, 1º de novembro e causou indignação aos vereadores que acompanharam atentos os respectivos tópicos. “É um absurdo o que foi feito com o dinheiro público na gestão do ex-prefeito Agnaldo Perugini (PT). Nossos estudos apontaram que a antiga gestão foi muito generosa com a empresa Plenax/Alcance. Foram empenhados, liquidados e pagos nos exercícios de 2014, 2015 e 2016 o valor geral de R$23.230.713,50. Constatou-se ainda a existência de pagamentos anteriores de modo irregular, a política atípica de pagamentos de juros, as prioridades de pagamentos e outros indícios muito óbvios, apontados nos trabalhos desta comissão. O que mais choca é o desvio de recursos das áreas de saúde e educação para pagamento de capina, o que é improbidade administrativa”, revela o relator da Comissão, vereador Bruno Dias.

A Comissão Especial contou com o suporte da empresa Libertas Auditores e Consultores, que é especializada em auditoria para analisar todos os contratos. A relatoria apontou diversas irregularidades no processo licitatório analisado, bem como, na execução dos serviços e nos seguimentos da liquidação e pagamentos. São inconsistências em contratos, planilhas, execução de serviços, medições e pagamentos.

Segundo a empresa de auditoria, foram apurados pagamentos de juros e correção monetária no exercício de 2014, bem como a prática recorrente pela antiga administração municipal, nos exercícios analisados (2014, 2015 e 2016), e ainda pagamentos feitos em fontes inadequadas, em desrespeito à Lei de Responsabilidade Fiscal,o que incide em prática vedada pela Lei de Improbidade.

A relatoria aponta que na análise da Auditoria, foram detectados diversos pagamentos em fontes inadequadas nos exercícios de 2014, 2015 e 2016, que totalizaram a quantia total de R$6.164.852,58 (seis milhões, cento e sessenta e quatro mil, oitocentos e cinquenta e dois reais e cinquenta e oito centavos). Segundo a empresa Libertas Auditores e Consultores, trata-se da aplicação indevida de recursos vinculados a finalidades específicas que foram empenhados e pagos em fontes inadequadas, isto é, a eles foi dada destinação diversa da finalidade para qual deveriam ter sido aplicados. Os pagamentos feitos pela administração municipal de Pouso Alegre à empresa Plenax/Alcance nos exercícios de 2014 á 2016 em fontes inadequadas, utilizando-se de recursos legalmente vinculados em finalidades diversas daquelas especificas previstas em lei (recursos de saúde, educação, etc.) configuram indubitavelmente a prática de atos de improbidade administrativa, previstos na Lei nº 8.429/92.

A relatoria encaminhará denúncia ao Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas do Estado e Poder Executivo Municipal, diante das constatações de emprego irregular de verbas públicas (fontes indevidas) nos pagamentos feitos pelo Poder Executivo Municipal de Pouso Alegre à empresa Plenax/Alcance/Alcance Construções e Serviços Ltda. EPP nos exercícios de 2014, 2015 e 2016, solicitando os procedimentos para a responsabilização legal dos gestores públicos, servidores envolvidos na contratação, fiscalização e pagamento da empresa, bem como os sócios desta, a fim de que respondam aos prejuízos causados à comunidade  de Pouso Alegre.

Segundo a empresa responsável pela auditoria, as medições não possuíam metodologia legal que permitisse a fiscalização daqueles serviços. Houve deficiência da comprovação de execução dos serviços e respectivos pagamentos, sem a juntada aos autos dos empenhos, medições, notas fiscais e outros comprovantes legais que, em correspondência às oitivas, indicam a existência de prestação irregular de serviços. “Esperamos que os responsáveis sejam devidamente responsabilizados civil e criminalmente. Finalizado o nosso trabalho, a sensação do dever profissional cumprido é plena, apesar das dificuldades e do volume de documentos. Agora aguardamos o desdobramento dos fatos apurados, após a análise dos órgãos de Controle Externo, Ministério Público e do Poder Judiciário, de modo a contemplarmos na prática, se for o caso, o resultado da nossa contribuição cidadã e independente”, disse o presidente da Comissão, vereador Arlindo Motta Paes (PSDB).

A Comissão acompanhará os desdobramentos jurídicos dos fatos apurados. “Esperamos, por fim, que este trabalho gere efeitos pedagógicos na cidade e que práticas, como as que foram apuradas, sejam definitivamente abolidas”, encerra o relator.

Relatório Final foi lido em Sessão Extraordinária


Publicada por em 01/11/2017

Receba as notícias da Câmara em seu email

Aspectos Gerais Concursos Públicos Eventos Legislaturas Mesa Diretora SIC
Boletim Oficial Conheça a Câmara Galeria de Fotos Licitações Notícias da Câmara Telefones Úteis
Breve Histórico Contas Públicas Galeria de Presidentes Links Página Inicial Vereadores
Comissões Permanentes Downloads

Câmara Municipal de Pouso Alegre

Av. São Francisco, 320 - Primavera  Pouso Alegre - MG  CEP: 37550-000
Fone: (35) 3429-6500 Fax: (35) 3429-6550
E-mail: cmpa@cmpa.mg.gov.br

Horário de funcionamento: Segunda à Quinta das 12:00 até as 18:00 e as Sextas-Feiras das 08:00 as 14:00.
Sessões ordinárias todas as Terças-Feiras as 18:00 horas.

Copyright® 2017 - Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvido por SINO Informática

Área Administrativa do site

Acessibilidade